Recebemos Thiago Romariz, do Omelete, para falar sobre a cobertura de jogos do Omelete, o jogo do Senor Abravanel e Jotun.

Chega mais!

Assine o nosso feed ou baixe o MotherChip #38 – Sylvio e o Ovo e escute no seu player predileto

Participantes:

Caio Teixeira
Heitor de Paola
Henrique Sampaio
Thiago Romariz

Assuntos abordados:

2m – A cobertura de games do Omelete
33m – Splatoon
52m – Sylvio
1h13m – Jotun
1h21m – Notícias
– Mega Man Legacy Collection
– Unhcarted: The Nathan Drake Collection
– Primeiro trailer de Fallout 4
– Skylanders Superchargers
– Mais leaks de Dark Souls III
– Xbox One baixa de preço, US$ 349, e agora tem um outro modelo com 1TB e o novo controlo por US$ 399
1h44m – Emails

Assine agora o nosso Patreon!

Envie perguntas para o email motherchip@overloadr.com.br

  • Diego Andrade

    Ainda não ouvi esse MotherChip mas me pergunto: passaram-se dois podcasts que vocês nem falam, ou falam com muita “má vontade” de The Witcher 3. Vocês não gostaram do jogo, ou pretendem comentar só quando terminarem?

    • Henrique Alves

      Tb achei estranho a capa com witcher 3,mas aparentemente o conteúdo do podcast sem ele!!

      Realmente pensava q ia ouvir historias mega empolgadas do Heitor,que por sinal foram elas quem me fizeram jogar o 2 e virar fã da serie 😀
      Entendo o chover no molhado que foi dito por ele,mas não é apenas falar do jogo mas sim a forma que é falada que me agrada muito!!!
      Gostaria realmente ouvir historias do jogo!!!

    • Oni

      Confesso que tenho ficado com o pé atrás esses últimos casts tb. Sei que é questão de gosto pessoal e tem muita gente que curte os wow, lol, mobas e essas coisas todas, mas eu por exemplo que não dou a minima pra esses jogos, meio que ouvi só por força do hábito mesmo.

      Quando saiu o Bloodborne foi uns 4 programas só falando disso, e isso porque é um jogo mais restrito em termos de público e que só saiu pra uma plataforma. Agora com um jogo do nível de The Witcher, lançado para todas as 3 principais plataformas e abraçando um público consideravelmente maior, se falar tão pouco é meio frustrante.

      Isso é sobre os programas anteriores, ainda vou ouvir esse com o Romariz. Lembro que nunca fui lá muito fã das análises de jogos do Ovolete, só curtia quando era um artigo/análise/opinião da Flávia Gasi, mas depois que ela parou de escrever lá eu larguei de mão de tentar acompanhar qualquer coisa de games, embora eu tenha largado
      tb a parte de quadrinhos e na parte de crítica de filmes eu só vou depois que assisti o filme e pulo direto pra nota, rs. A única parte que ainda vejo é a da bilheteria do filmes. Enfim, nada contra o pessoal lá do site, até já estou com meu ingresso da CCXP comprado e tal, só acho que pra qualquer leitura um pouco mais profunda sobre qualquer dos assuntos que eles tratam, se tem lugares bem melhores para ler.

      Bom, cast baixado bora ouvir, já que já fiz minha parte de cagar regra antes mesmo de ter ouvido o programa :p

    • Jonas S. Marques

      Cara;

      Bloodborne

      é sobre vivenciar o jogo com pessoas, é sobre o que cada um fez, como cada um enfrentou cada chefe, etc. The Witcher não.
      Aliás, acho que é melhor que assim seja. Já foi dito por eles que é um dos melhores jogos do ano e, como se trata de um RPG de lá suas 50 horas no mínimo é melhor esperar todo mundo terminar pra tecer algum comentário.

      Ou sei lá, os caras só não estão tão afim de comentar o jogo e ey, normal, nem todo mundo gosta das mesmas coisas.

    • Diego Andrade

      Só não quero que meu comentário seja interpretado como uma crítica negativa. Pelo contrário. É um “hábito” meu e creio que de alguns aqui também, de jogar um jogo, daqueles que demandam muitas horas, ouvir e dividir experiências com o Heitor, o Caio e o Henrique ao mesmo tempo em que jogamos. Por isso estranhei maiores comentários sobre The Witcher 3 nos últimos casts.

      • riquesampaio

        Eu particularmente não gostei muito de The Witcher 3, e outros jogos lançados no período me chamaram mais a atenção. O único que se envolveu mais com o jogo foi o Heitor, e ele tem comentado um pouco em cada podcast. Naturalmente, quando há mais de uma pessoa jogando, a discussão se aprofunda, mas não acontecei isso com The Witcher 3. O fato de apenas o Heitor e eu termos tido acesso ao jogo (não recebemos uma cópia para consoles, o que impediu o Teixeira de jogar) também contribuiu para isso.

        • Diego Andrade

          Valeu pelo feedback, Henrique.

      • Fabiano

        The Witcher meio que não gera muitos comentário mesmo. Todo mundo tem a mesma experiência, e dá sim pra comentar sobre as missões mas isso seria muito spoiler já que as missões, por menores que sejam, sempre têm um twist dentro delas.

    • Heitor De Paola

      Na real é porque sentimos que falamos bastante dele na primeira semana que jogamos e não acho que há muito mais a ser dito sobre ele. Seria chover no molhado ficar puxando o assunto toda semana.

  • Bruno Ornelas Guerra

    Romarizaçao!!!

  • Grillo

    Primeiro convidado que me faz ficar com o pé atrás. Vamos ouvir.

  • Gabriel Maciel Campanini

    Grande Romarização.

  • AnaniasJr

    “Fico feliz de ver que Splatoon tem uma personalidade” disse o Heitor. Sabe o que também tem uma personalidade? Charles Manson.

    • rodrigo

      Sabe quem tem personalidade? Timothy Leary

  • Leonardo Calça

    Vi a Giovana no ônibus enquanto ouvia o cast. Valeu, só precisava comentar isso em algum lugar.

  • Márcio Barbosa

    Tem como comprar dinheiro do GTA online sim. Inclusive o dinheiro vem no que eles chamam de Shark Cards e tem umas ilustrações bem legais promovendo ele.

  • Rafa Jonatas

    nem ouvi ainda mas esse convidado é mala, ja não basta ter estrado um pouco o omeletv agora aqui. daqui a pouco ta no programa de 12:00 da Espn e vou ter de mudar meu horário de almoço.

  • Onire de Morais

    Teixeira, o jogo que cê queria lembrar na parte da tempestade de neve em Jotun era Journey. Certeza

  • Grillo

    E assim gente. Acho que vale a pena vocês lerem e-mails E comentários. O jogo que eu estava perguntando na semana passada é TUDO menos Blasto. O cara dos comentários foi que acertou em cheio. O jogo é Gungage, que só saiu no Japão e não é nada conhecido por aqui. Por coincidência, Blasto era outro jogo que eu queria lembrar o nome antigamente, mas ele eu consegui descobrir com muita pesquisa na época.

  • rodrigo

    Esse convidado…hãm…. Romarizão dos Brothers

  • Carlos Eduardo Galvani Nascime

    Sobre Splatoon, acho que está cada vez mais claro que a Nintendo lançou o jogo sem todos os conteúdos para liberam de pouco em pouco e gerar hard news e movimento no jogo. Fazendo aqui uma lista de updates, tivemos:

    29/05 – Lançamento do jogo
    01/06 – Novo mapa do modo Turf War/ Ranked Battle e nova arma (N-Zapper)
    06/06 – Nova arma (Inkbrush)
    09/06 – Novo mapa do modo Turf War/Ranked Battle
    12/06 – Nova arma (Splash O-Matic!)

    Sinceramente, não sei o que pensar sobre isso. O fato dela esconder conteúdo para emular esse sentimento de novidade me parece sujo, mas ao mesmo tempo toda a vez que penso “Ok, vou jogar outra coisa agora” ela me puxa de volta pro jogo e nessas duas semanas me fez acumular mais de 50 horas de jogo, sempre me divertindo bastante.

    Sobre os modos, não entendi como o Romariz disse que o Turf War e Ranked Battle são praticamente a mesma coisa (pintar o mapa). São totalmente diferentes! O foco da partida, as armas que você usa, a agressividade, enfim, não tem como você falar que são parecidos quando num modo o objetivo é pintar a maior parte do mapa e no outro matar o maior números de pessoas possíveis e defender a “base”.

    • Leo Lima

      Não vejo problema, The Witcher esta fazendo o mesmo também.

  • Platynews

    O par romantico do Naruto é SUPER o sasuke.

    Sem audio vc não tem medo ?
    Mas o “Homem sem Medo” é cego, não surdo xD

    ….o Rique ja viu Top Secret ?
    Tem uma cena que eles usam audio invertido para soar como suéco

    O jogo dos bixos fofinhos que viram outros que o Heitor falou é Battle Beast ?

    Museum do megaman collection é pros pobres que não tem o artbook Megaman Compelte Artworks =(

  • Mackel Angelo Cerqueira

    tenho a impressão que adoro os comentarios negativos do Heitor de Paola, por sempre gostar muito dos jogos mais ferrenhamente criticados por ele : The Last Of Us, Bloodborne… Não que a opinião dele me ofenda, mas é compra certa e diverção garantida. Heitor, continue assim^^
    obs1: gosto tambem dos que ele só elogia^^
    Obs2: galera, da uma olhada no meu canal^^ https://www.youtube.com/watch?v=Kl3200jfONk

  • Alvaroniten

    Só vim pra dizer que também gosto de Tron Legacy.

  • Caio Favero

    Sobre Jotun: se ele tem elementos de cultura nórdica, a pronúncia é “Iotun”, com i de idiota. Seria uma referência direta a Jotunheim (Iotunrrain) que é, nada mais nada menos que, a terra a dos gigantes de gelo na mitologia. O lugar é citado no 1º filme do Thor. É onde o Odin encontra Loki

  • Leandro Tavares

    Sobre a discussão dos jogos grátis, eu também ativo tudo (aí, Teixeira, #tamojunto). E também testo um pouco, nem que seja para ser desestimulado em 5 minutos por um excesso de tutoriais. Mas o grande problema é que os jogos de graça, principalmente os indies, não possuem o marketing que os AAA possuem, daí quem não vai atrás de informação ou não se dedica um pouco para testar acaba achando a Sony uma muquirana que só dá indie ou port.