Neste episódio vocês entenderão o conceito de “rapidinhas” X “longuinhas” – aparentemente perdemos toda a nossa criatividade para nomes de quadros.

Chega mais!

Assine o nosso feed ou baixe o MotherChip #71 e escute no seu player predileto

Participantes:

Caio Teixeira
Heitor de Paola
Henrique Sampaio

Assuntos abordados:

11m – The Witness
36m – LEGO Marvel’s Avengers
43m – Sexta Show e Beta The Division
49m – Rapidinhas:
– A Volition liberou o ISO de Saints Row: Undercover
– Mais vídeo de gameplay de FF XV
1h – Longuinhas (culpa do Heitor):
– EA dispensa a E3 em função de seu próprio evento paralelo, o EA Play
– Informação sobre as vendas de consoles vindas da conference call da EA
1h42m – Email

Música de Encerramento: TLC – No Scrubs

Assine agora o nosso Patreon!

Envie perguntas para o email motherchip@overloadr.com.br

  • Estou ouvindo não tem nem 10 minutos e o Rique já está mitando! huahuahua

  • Better Call Foggy

    Acho que finalmente chegou momento de nos, comunidade Overloadr, unirmos para criar um nome melhor que rapidinhas X longuinhas

    • Domingos Junior

      De preferência evitando estrangeirismos

    • Domingos Junior

      Sinal amarelo
      Sinal verde
      Momento informante

      Não são bons mas já é um começo

    • brunolorenz

      Momento Sonic e Momento Dhalsim

    • Rodrigo Pillotto

      indies do Rique e mundo aberto?

    • glaubertodesco

      Desquindolelê para rápidas e Desquindolalá para longas.

    • Better Call Foggy

      Só deixar claro que a cada comentário que vcs estão fazendo eu to começando aceitar mais Rapidinhas e Longuinhas

  • Haste (rapidinhas) | Slow (Longuinhas). Não é muito criativo mas é uma sugestão =P

  • Caio

    Então, Lego Marvel Avengers não é uma continuação do Marvel Heroes mas sim um jogo novo.
    Eu até gosto de jogos Lego mas só pego aqueles que tem uma temática que me agrada. Os jogos originais de Lego não me interessam tanto.

  • Domingos Junior

    Pessoal falem mais a fundo de pônei Island!

  • Diego Miranda

    Sobre a Microsoft, ela é muito mais que a divisão de Devices(acho que foi esse o nome que deram em uma das reorganizações pra Xbox e Windows Phone), muito mais mesmo. Apesar do Xbox One e Windows Phone sangrarem dinheiro, Windows, Office e, principalmente, toda a área de infraestrutura empresarial da Microsoft são gigantes! Pensem na Microsoft como a IBM, ou um iceberg ;), o que o público geral consegue ver deles é muito pouco.

    • Rubens Mateus Padoveze

      exato

  • M_Lopes

    Poxa, finalmente alguém que também gosta de FF X-2. Acho esse um dos jogos mais injustiçados da história. Se você for ver, as principais críticas que as pessoas sempre fizeram a esse jogo nunca foram críticas técnicas, mas sim coisas do tipo “Ah, nossa que jogo gay! Nossa, parece uma banda de j-pop, que coisa de viado! Um jogo com meninas que trocam de roupa? Aff, só pode ser o jogo da Barbie!”

    No final das contas, muita gente sequer deu chance ao jogo simplesmente por conta de um preconceito bobo e juvenil por causa do clima de “banda de j-pop” das personagens.

    • Outrem

      Eu até gosto dele ser um Final Fantasy As Panteras, meu maior problema com ele, além dele voltar com Active Time Battle, é que ele joga fora muitas coisas do X-1. Por exemplo, um dos papeis dos summoners era o de enviar os espíritos dos mortos para que eles não virassem monstros. Depois do X-1 não havia mais meios de invocar criaturas, mas ainda havia para enviar os mortos, cadê gente fazendo esse trabalho? Isso é só um exemplo, mas eu, no fim das contas, gosto do X-2, é o único jogo com ATBattle que eu consigo jogar,

  • Alexandre Barbosa da Silva

    Alguém sabe que música é essa que toca aos 43:05? Estou enlouquecendo por que sei que já tinha ouvido mas não lembro onde! Tentei procurar o pedacinho da letra da parte que toca mas não achei a música certa…

    • Gabriel.psd

      É uma OST do Rocket League se não me engano, procure por: Mike Ault – I Can Be (feat. Crysta).

  • Thiago Nunes

    Acho que o Heitor deu uma pulada cronológica muito grande no momento “trendsetter” do gênero roguelike. Teve Diablo, por exemplo, ele se encaixa na segunda onda do gênero.

    • Heitor De Paola

      Mas o que Diablo teria de Roguelike? Você pode perder certos equipamentos em certas condições, e as dungeons são aleatórias, mas ficam fixas desde que você permaneça na mesma campanha (no singleplayer, digo).

      • Thiago Nunes

        Parece muito obtuso o que vou responder agora, mas o que Diablo tem de Roguelike é ele ser… um jogo inspirado por Rogue. Todo o design procedural das dungeons e os loots aleatórios vem de Rogue e NetHack. Já ouvi que inicialmente o primeiro Diablo foi desenvolvido pra ser por turnos, mas não consegui achar a fonte. Claro que você não tem a permadeath (exceto modo hardcore que iria ter no Diablo II em diante e tal), mas todo o resto encaixa, pelo menos ao meu ver. É bom lembrar que roguelike tá mais pra subgênero que gênero, já que qualquer grande gênero pode ter mecânicas de roguelike como permadeath e mapas aleatórios (fps, rpg, plataforma, rts…)

        Embora Diablo seja predominantemente RPG, acho que não tem como explicar cronologicamente esse percurso que vocês comentaram dos roguelikes no podcast sem citá-lo. Ele é meio que o “elo perdido” da filosofia de design dos roguelikes modernos, hahaha

  • Galerê, os últimos bilheteria e motherchip estão vindo sem título (só tem o nome motherchip/bilheteria e a numeração). Essa é a intenção ou alguma coisa deu ruim? Desse jeito fica difícil de saber o que já ouvi ou o que eu quero re-ouvir.

    • Heitor De Paola

      É de propósito. Com a descrição reduzida algumas pessoas deixavam de ouvir episódios achando que os assuntos discutidos eram unicamente os presentes nos títulos.

      • Entendo. Nesse caso não daria para colocar algum título genérico aos moldes do que o jogabilidade faz (ex. Linha Quente #11: Bebida Entra, Roupa Sai)?

        Pelo jeito eu sou o único a sofrer com podcast sem título =(

  • glaubertodesco

    A questão do Windows Phone, o que vai ser descontinuado na verdade é a marca, pois a ideia é todos os devices (pc, console, tablet, mobile) usarem o “mesmo” sistema operacional, no caso atual o Windows 10. Claro que vão ter diferenças entre as plataformas, mas o nome vai ser o mesmo, pra dar uma “ar” de maior integração. Inclusive a Microsoft vai rodar aplicativos Android com um simulador dentro do Windows 10, e está apostando muito na integração entre plataformas uma vez que a base instalada dela já é bem diversificada. Agora vamos ver se tudo isso vai dar certo rsrs.

    • Rubens Mateus Padoveze

      isso mesmo

  • PauloHDSousa

    Olá,

    Sobre a questão sobre crianças ligarem ou não para a história eu posso afirmar que meu irmão de 7,8 ou 9 anos…

    Não ta nem aí pra história…

    Todos os jogos ele simplesmente joga, nem liga para o enredo.

    Mas, por outro lado, ele se apega e lembra dos personagens.

    Abraço.