O Rique participou de uma “Gaymada”, não tem muito o que falar depois disso.

Escute agora!

Assine o nosso feed ou baixe o Bilheteria #71 e escute no seu player predileto

Participantes:

Caio Teixeira
Heitor De Paola
Henrique Sampaio

Assuntos abordados:

12 min – Evento: Gaymada
26 min – Livro: O Exorcista
29 min – Série: Demolidor – 2a Temporada
40 min – Filme: Zootopia
49 min – Misc: BTNK, Paranapiacaba
54 min – Musical: Wicked
1h01m – Emails

Música de Encerramento: Hurtmold – Joji

Caso tenha interesse, assine o nosso Patreon!

Envie emails com perguntas e sugestões para: bilheteria@overloadr.com.br ou para http://ask.fm/bilheteria

  • Heitor, consegue lembrar quais furos vc identificou em Wicked em relação à Wizard Of Oz? Fui à São Paulo recentemente para assistir o muslcal, achei maravilhoso e uma das coisas que me foi mais encantadora é como ela se encaixa integralmente ao antes/durante/depois do filme clássico, mas talvez eu esteja já perdoando os erros no ponto de nem vê-los.

    • Heitor De Paola

      O passado do Homem de Lata e do Espantalho não se encaixam exatamente com o que eles falam n’O Mágico de Oz. Com o Espantalho até dá para você presumir que ele não teria contado a história toda, mas com o Homem de Lata é mais difícil. E também o timing da partida do Mágico de Oz, porque ele vai embora de lá antes da Dorothy ir, enquanto na peça ela já teria partido naquele momento.

      Mas são apenas detalhes, nada que desmereça a reinterpretação da história.

      • Boa… valeu.
        É no caso do homem de lata ficaria muito melhor amarrado se ele tivesse perdido a memória no processo.
        No caso do espantalho, como o icone dele é a inteligencia, vc pode até reler de forma que ele foi o mentor de tudo, que o enredo do filme já era parte do plano, que ele usou a Dorothy para o proposito dele e tudo o mais.

      • Lembrei de outro “furo” que me incomodou um pouco no inicio da peça, no filme a maioria dos guardas da Elphaba são verdes e com narigão, como se fossem uma raça da qual ela fizesse parte. Na peça todos estranham absurdamente o fato dela ser verde como se fosse única e inédita.

        Se bem que… péra, com magia dá pra completar essa lacuna tb. 🙂

  • Felipe Vaz

    Pro Heitor e pro Caio entenderem como funciona a gaymada aqui em BH:
    https://www.youtube.com/watch?v=YBEL-LcCu-I

  • Platynews

    Teixeira, se vc quiser série com lutas lindamente coreografadas eu recomendo a série “Into the Badlands”. O roteiro da série é nivel anime de ruim … mas MEU DEUS as cenas de luta =O

    Cavaleiro da Lua é wishfull thinking das pessoas … as pessoas querem uma série dele pq ele é um pseudo batman totalmente psicótico.

    O problema do Rique reclamar da disney é que ele ignora que em algum momento a Disney comprou a Pixar e o resultado acabou sendo quase como se a Pixar comprasse a Disney… ai o Zootopia por exemplo é feito por boa parte da pixar

  • FHC

    Preciso discordar do Heitor sobre pessoas que seguem Bolsonaro. Eu sei que boa parte destes estão apenas replicando seu discurso de ódio, mas acredite, existem pessoas que acham que essa imagem do Bolsonaro é inventada pela mídia.
    Pode ser por ignorância (e que ignorância!), mas minha namorada conhece um cara que diz isso e tem uma amiga que ignora todo o discurso dele, focando apenas no “ele fala a verdade na cara”. O que vejo é que as pessoas conseguem tolerar diversos comportamentos em prol de algum ideal mesquinho, seja consciente ou inconsciente, elas são capazes de dizer a si mesmas que Bolsonaro não é tão quanto parece e que algumas de suas ideias são boas o suficiente para valer todo o resto.
    No fim, a diversidade humana está presente até nos bolsominios e generalizar, até neste caso, se torna um erro. E é por isso que temos amigos e conhecidos que não são preconceituosos (pelo menos demonstram isso), mas que apoiam Bolsonaro.

    MAS FODA-SE! Se um desses está na internet te perturbando, block neles!

  • rodrigo

    preciso jogar este jogo fabuloso

  • Vigo

    Espero mais comentários do livro O Exorcista no próximo bilheteria. Tenho o livro no meu Kindle aqui, mas não gostei muito do começo (a história da mãe) e acabei deixando pra ler outra hora. Dependendo do que o Teixeira falar, eu volto a ler.

  • Para a pessoa que quer saber o que fazer com o dossiê. Se for mandar, o jeito fácil de mandar anonimamente é usando o navegador pela rede Tor https://www.torproject.org/download/download-easy.html.en

    E não esqueça de Não mandar pelo seu email pessoal. Essa lista do Reddit ajuda https://m.reddit.com/r/emailprivacy/comments/3gf2ta/email_providers_with_onion_tor_hidden_service/

    Abraços!

    • Guilherme Gondin

      Eu não tive tempo de ouvir, pra que isso?

      • Diego Espeschit

        O ouvintes disse que o Delcidio *** spoiler removido ***

      • É uma resposta relacionado a uma pergunta de um ouvinte. Fica mais fácil após você escutar. Mas se a pergunta do que é isso é sobre Tor, bem é uma rede para proteger seu anonimato.

  • Diego Espeschit

    Adorei o episódio!
    Gosto do podcast, principalmente quando é assim, de raiz, só comentando o que consumiram na semana.

    Mas acontece uma coisa curiosa comigo, especificamente neste Podcast, a minha parte favorita são os e-mails. E neste episódio, foi gigante, adorei!

  • tiagocartum

    Sobre a parte das animações, desde que ela “comprou” a Pixar a Disney tem entrado em uma terceira era de outro da animação, iniciada em Erolados. Não são animações de narrativa tão épicas quando as antigas, mas de temáticas mais diversificados e fugindo do tradicional “princesas” que formou a base da disney.
    Rique, de uma chance as novas animações da Disney que estão muito boas.
    Heitor, a dublagem está boa sim, Até o Ricardo Boechat como âncora do jornal esta bom.

  • Leandro Tavares

    Caros, sobre Paranapiacaba, dois pontos:
    1- Rique disse que achava, mas está certo, Paranapiacaba é um distrito de Santo André.
    2- Teixeira, fui uma vez quando era moleque e achei uma merda, preferia estar jogando meu PS a estar num passeio de índio. Mas tenho vontade de voltar agora, depois de velho, pois sempre escuto amigos dizendo que é bem legal, principalmente no Festival de Inverno. Tem alguns amigos um pouco mais coxas que reclamam que fica “muito cheio”, uma crítica velada ao público, mas eu não sou desses então pretendo ir um dia. Se interessar tem uma página com a programação anual de turismo: http://www.paranapiacabaecotur.com/guia-shows-eventos-sp/

  • PescadorParrudo
  • PescadorParrudo

    Qual o nome da música que toca depois do Teixeira citar algo sobre rugby7?

  • Darth Zveiter

    discordo da opinião de vcs sobre o bolsonaro. ele nunca fez nada homofobico e mt menos nazista. alem disso acho a visão de vcs bem intolerante, ñ aceitam que ninguem possa apoiar o cara e já os julgam ignorantes ou coisa pior.

    pra completar fiquei um pouco decepcionado, só ouvi vcs criticarem pessoas de direita/conservadoras, mostrando claramente uma tendencia. sem falar que o cara (ñ lembro quem foi) queria cortar relações pq a pessoa foi nos protestos contra o governo…. como assim, vcs são contra o impeachment ??

    espero ñ ter ofendido ninguem, ñ foi minha intenção. mas politicamente tenho uma visão bem diferente de vcs

    abraços

    • Heitor De Paola

      Se você nunca viu Bolsonaro falar nada homofóbico é porque você realmente acompanhe bem pouco das declarações dele.

      E sim, nós nunca escondemos em nenhum momento não nos filiarmos a ideias conservadores de direita e nos posicionarmos contra elas. Não é tendência, é algo que deixamos bem claro, desde sempre.

      E não muda nossa posição. Somos contra o impeachment, mas não acredito que faça sentido cortar relações com alguém que esteja se posicionando contra o atual governo. São maneiras diferentes de pensar democraticamente, por mais que acredite que o impeachment não tenha, necessariamente, aparato democrático para ser apoiado. Mas, excluindo ideias extremistas e ignorantes como de um Bolsonaro, acho que aceitar que pessoas têm visões diferentes e buscam soluções diferentes é essencial. Por isso me parece exagero cortar relações com alguém que foi a um protesto que busca algo diferente do que você acredita.