Talvez a matemática explique, mas pra gente é uma grande coincidência que o episódio número 100 esteja precedendo o aniversário de 2 anos do Overloadr.

A gente até tentou fazer com que as datas batessem (episódio 99,5? Quê? Tô sabendo de nada) mas o que importa é que estamos firmes e fortes e nosso parrudo favorito está de volta conosco!

Assine o nosso feed ou baixe o MotherChip #100 e escute no seu player predileto

Participantes:

Heitor De Paola
Henrique Sampaio
Caio Teixeira

Assuntos abordados:

6 min – William Bonner e ereções
14 min – a viagem do Teixeira, fortões e Pokemon Go
21 min – Lucioball e a season de Overwatch
24 min – Tricky Towers e Overcoocked
28 min – Rebel Galaxy, Celine Dion e Titanic
45 min – Phantasmagoria 2
48 min – Deus Ex e Mother Russia Bleeds
53 min – Longuinha: a ira contra No Man’s Sky é legítima?
85 min – Rapidinhas
94 min – emails

Música do final: Orquestra Brasileira de Música Jamaicana – OBMJ Ataca!

Assine agora o nosso Patreon!

Envie perguntas para o email motherchip@overloadr.com.br

  • Guilherme Garcia

    Nosso Adam Jensen finalmente voltou hehe

  • Rafael Pradella

    “6 min – William Bonner e ereções”
    O que dizer desse ep. que mal conheço e já considero pacas?

  • Jonathan Menegalli

    eu só vou deixar isso aqui e ir embora. Na real vou deixar umas curiosidades: esse foi um dos clipes mais caros da historia e a celine dion gravou a musica do titanic num take só, ela não gostava muito da musica e ficou meio surpresa de quanto sucesso ela fez graças ao filme.
    https://www.youtube.com/watch?v=pDxoj-tDDIU

  • Gostaria que vocês tivessem falado um pouco do papel da Sony na treta do NMS. O quanto ela tem de culpa e se ela tem alguma culpa nisso. Talvez NMS tivesse uma recepção menos negativa se não fosse o preço de $60. Além da pressão pra sair logo e as certificações de console – pra quem não sabe tem um texto muito bom do Rami Ismail sobre o assunto. Ai imagino se ele só custa tanto pois tem um grana forte de marketing por trás. Tava ansioso pelo jogo. Esperei reviews e ainda não comprei. Acho que não vale o preço que tão pedindo por ele. Seja bem vindo de volta ao podcast Teixera. 😀
    Abraço a todos.

    • Fabiano Castro

      Pois é, eu acho que o marketing da Sony ajudou muito a criar essa expectativa irreal sobre o jogo. Aconteceu o mesmo e menor grau com o Bloodborne também, teve muita gente que comprou achando que era um hack’n’slash e ficou bem puto. Pegar jogos de nicho e despejar marketing sobre ele as vezes pode ser meio prejudicial talvez. Persona é o próximo da lista, já vi gente desinformada achando que é tipo final fantasy e vai quebrar a cara.

  • Adrien Pirmez

    Bem vindo de volta @caio_o_teixeira:disqus !

  • Michael Pereira

    A Sony sabia que tinha uma bomba nas mãos com o NMS, tanto é que na E3 2016, não houve citação do jogo nem durante a conferência, Season Reel ou no Show floor, como se ele não existisse.Também com a demora de envio para as cópias de analise no aguardo do patch de dia 1. Derrubando videos com informações do jogo e colando adesivos de última hora na caixa do jogo, escondendo as informações sobre o suposto Multiplayer e atrasando a versão de PC em 3 dias para evitar a enxurrada de reclamações no dia 1 sobre a performance pobre no jogo.
    A única coisa que não concordo é sobre a avalanche de reembolsos de usuários que teoricamente tem acesso as informações sobre o jogo, usuários do reddit, steam e etc, e mesmo assim pagaram para ver. pedindo reembolso após mais de 50 horas de jogo. Neste caso, podendo aguardar pelas analises do jogo.
    Sobre a entrevista com o Anderson Gracias, eu não sei pq tem gente que ainda perde tempo tentando entrevistar ele. O cara parece feito de sabão durante as entrevistas e nunca tem nada interessante para dizer sobre o mercado ou desvia completamente do tópica para não responder. Ele em uma entrevista na BGS2016 com IGN, disse que não sabia o que seria apresentado pela Sony no dia 7…sério? mesmo com o novo modelo do PS4 já vazado?. Não é mais fácil dizer que não pode dar mais informações no momento, do que mentir e achar que o público acredita que o responsável pela América latina, não tem acesso a este tipo de informação?
    Ótimo podcast e parabéns pelo episódio #100,5. Não vejo a hora de voltar a trabalhar para poder contribuir com o Patreon.

  • Vanessa Foitte

    Sobre a discussão de No Man’s Sky: sem entrar nos extremos de hype e hate que ocorreram antes e após o lançamento, eu consideraria válido o reembolso por propaganda enganosa (que não está ocorrendo, aparentemente). Peguei o jogo na primeira semana, sem esperar algo tão utópico quanto alguns diziam que poderia ser, mas ainda assim nada tão raso quanto o que recebi. Pode ser que o Sean Murray acreditasse que poderia concluir todo o conceito vendido, mas todo o marketing me pareceu esconder de modo proposital o conteúdo que seria entregue. E ainda com o preço cobrado de um triple A e uma conversa tendenciosa sobre se os futuros DLCs serão pagos ou não.

  • Superkei

    AMIGO TINDOSO QUE VIU O PADRASTO APRONTANDO CONFUSÃO! SÓ VERIFICA UMA COISA ANTES DE QUALQUER ATITUDE.

    Eu não lembro direito, mas eu ACHO que essa ferramenta nova do Tinder mostra todo mundo que ta no facebook(já que o Tinder é integrado nele), não quem está necessáriamente no Tinder.

    É tipo um “vou sair com esse meu amigo do facebook também, ta afim?”

    Posso estar errado, mas vê isso ai.

  • Guilherme Kaneko

    Sobre No Man’s Sky, O Caio tem 100% de razão quando diz que o maior culpado é a própria imprensa. Já cansamos de ver esse tipo de coisa no mundo dos games, Teaser apresentados na E3, super estimados e quando o jogo é lançado, os gráficos não são tudo aquilo, a impressão do jogo é outra e etc. E o que mais me espanta é que muitos dos jornalistas, são caras que cobrem a E3 ou qualquer outro evento há anos. Já deveriam de saber certo tipos de coisas. No Man’s Sky, foi mais um jogo. O pior de tudo isso, é que a imprensa nunca indaga os desenvolvedores com perguntas, sobre o que é o jogo, qual o intuito do jogo, qual o objetivo do jogo, o que devemos esperar do jogo.
    Outro jogo que vejo o mesmo problema é o Horizon Zero Dawn. Todo trailer, teaser, gameplay apresentado sempre mostra as mesmas coisas, a diversidade em caçar os “Robos”. E quando vc faz esses tipos de perguntas em noticias sobre o Horizon, as pessoas respondem: ah mas se os desenvolvedores falarem sobre isso, estraga a surpresa do jogo.
    Bom, eu sou completamente contra, as pessoas terem o estorno da compra. até porque vejo isso como uma forma de educar as pessoas a valorizarem mais o dinheiro e aprenderem a questionar, assim não aceitam mais tudo o que veem pela frente.

  • Quanta implicância com o Henrique nesse episódio.

  • The Parrudinho is back! Finalmente!

  • Fabiano Castro

    Sobre a polêmica sobre a Hello Games:
    Eu concordo com o Heitor sobre seu medo do precedente que um “recall” do jogo pode abrir. Mas também acho que ele pode ser evitado apenas com transparência. Já vi trailers de jogos que informavam no início que estamos prestes a ver uma build inicial e que parte do que está sendo apresentado pode não estar presente no produto final. Um tratamento idêntico aplicado a qualquer peça publicitária poderia resolver esses mal entendidos.
    A questão do No Man’s Sky foi mais visível porque foi dito que o jogo teria recursos que não estão presentes no produto final. Não foi questão de qualidade, mas sim de ausência completa de parte do produto. E considerando que as caixas do jogo foram produzidas com a informação de ter multiplayer, parece que os desenvolvedores acreditaram até o último segundo que daria tempo, o que mostra um amadorismo muito grande por parte deles.