Neste episódio excepcionalmente compacto, nos focamos em alguns dos lançamentos mais peculiares dos últimos meses: Thumper, um jogo de ritmo no qual controlamos um besouro metálico e enfrentamos cabeças demoníacas, e 100ft Robot Golf, onde robôs gigantes japoneses se enfrentam em grandes batalhas de… golfe.

Assine o nosso feed ou baixe o MotherChip #106 e escute no seu player predileto

Participantes:

Heitor De Paola
Henrique Sampaio

Assuntos abordados:

0 min – Receita de molho de tomate do Rique
6 min – Star Vikings e vício
14 min – Thumper
25 min – 100ft Robot Golf
36 min – Gears of War 4
49 min – Overwatch e Outlast 2
54 min – Rapidinhas
72 min – Emails

Música de encerramento: Disturbed – Sounds of Silence (trilha sonora de Gears of War 4)

Migramos para o Apoia-se! Para entender por que deixamos o Patreon, leia nosso FAQ. Se você gosta do nosso trabalho, considere contribuir com nossa campanha de financiamento coletivo.

Envie emails com perguntas e sugestões para: motherchip@overloadr.com.br

  • FHC

    Acho q oq o Rique estava querendo falar sobre vício em jogos ou vícios que não são necessariamente ligados às drogas é a chamada Dependência psicológica, uma condição que cria essa necessidade de se ter algo, porém é diferente da Dependência física, pois ela não possui substâncias que criem uma dependência química, sendo apenas uma condição mental. Lembrando também que drogas podem crias os dois tipos de dependência.

    • riquesampaio

      Mas o fato dos jogos causarem a liberação de serotonina, dopamina, adrenalina, ocitocina etc não tornam um dependente psicológico de um jogo uma espécie de dependente químico, uma vez que ele provavelmente (e inconscientemente) joga em busca do prazer que esses hormônios e neurotransmissores proporcionam?

      • FHC

        Olha, sou designer, então o pouco que sei vem da minha namorada, porém, nesse caso, acho q como essas substâncias que você falou são provenientes do próprio corpo devido ao estímulo (ao contrário de drogas e álcool), essa dependência continua sendo psíquica pois depende apenas de estímulo sem a necessidade de sustâncias “alienígenas”.

  • Jonathan Menegalli

    Eu uso extrato de tomate no molho, fica melhor do que o molho pronto.

  • Nix

    Como assim crocância não existe, Heitor?!

    • Heitor De Paola

      É porque é um neologismo meio recente ao português, que ainda não entrou na maioria dos dicionários (apesar de que uma pesquisa mostra que o Houaiss já a adicionou). Não quero dizer com isso de forma alguma que está errada, mas é uma palavra que está no processo de ser introduzida à norma culta do português (ela é amplamente encontrada em livros de culinária), mas é mais comum você não encontrá-la ainda em dicionários, apenas “crocante”.

      • Anderson Cardoso

        Caralho!!
        Queria ter esse conhecimento do Heitor acho que vou estudar Letras!!

  • Tiago Ribeiro Xavier Cordeiro

    Ni no Kuni n tem no PS4.

  • Sapulha_himself

    Tenho uma receita de iogurte: 1/2 xícara de leite e 1 litro de iogurte. Mistura tudo e bebe.

  • Darth Paul Poor Traaais

    Segundo programa que me deixa com a música de encerramento martelando na cabeça. Da outra vez foi “Down Under”. Essa curadoria musical tá mexendo com meus neurônios…

    Voltar para o PS3 não seria uma decisão muito inteligente, na minha opinião fecal. Apesar de não ter me desfeito do meu quando comprei meu PS4, também por conta de jogos – incluindo vários digitais – para não passar pelo mesmo dilema que o Henrique, são poucos os exclusivos da geração passada que realmente vejo necessidade de jogar. Sem falar que alguns jogos do final da era PS3/Xbox 360 ficaram bem melhores nos consoles atuais, como The Last of Us ou Shadow of Mordor.

    O que chega a impressionar é como, mesmo depois de tanta evolução na tecnologia, jogos com tantos problemas ainda sejam publicados – 100ft Robot Golf é só um exemplo recente. Complicado…

  • El Luchador

    O único jogo que me deu vontade de vomitar até hoje (jogo videogame há 25 anos já) foi o Gex – Enter the Gecko, do Plasytation 1.

    Acho que a câmera bizarra e aquelas cores super-saturadas foram a causa.

    Nem o usar o Oculus Rift numa simulação daqueles brinquedos que um elástico gigante te arremessa, em parque de diversão, me fez qualquer sensação ruim.

    • Anderson Cardoso

      Nossa que estranho, lembro desse jogo mas adorava o estilo saturado e ficava horas para achar tudo que é segredo nas fases. o único jogo que passei mal até hoje foi o kholat tem uma fase que é toda na neve e tem que andar muitooooo até chegar no objetivo, tive nauseas e dor de cabeça. Devolvi o game e nunca mais joguei sem chance de terminar aquilo.

    • Heitor De Paola

      Pra ser justo, Gex Enter the Gecko sempre me deu vontade de vomitar também, mas não por conta de motion sickness.

      • El Luchador

        heoiuahfoieuhfoiahfioahuae

        TRUE.

  • Anderson Cardoso

    Fiquei curioso pela trilha do Thumper pelo que o Rique citou da construção harmonica ser em tons Suspensos, tais construções harmonicas têm geralmente a caracteristica não te dar ‘repouso’ quando se escuta.
    Nem sei se vou curtir o game mas quero muito escutar isto.

    Abs,

  • André Luz

    Sobre os jogos de ps3 Rique, você encontra praticamente tudo no submarino, mercado livre e etc. muitos a menos de 50 reais.

  • Bom gente adorei o podcasting mas kkkk o Teixeira estava falando claramente de “Gun”, joguei Gun no “Game Cube”, ele é em segunda pessoa e com elementos em primeira pessoa. O bullet time por exemplo kkk…
    Red Death Revolver tem pra XBox e PS2 kkk…