O ano acabou! Okay, ainda tem o resto de dezembro e os conteúdos especiais do Overloadr que irão ao ar. Mas, no que concerne o Bilheteria, o ano acabou!

Para encerrarmos esse período de 2016 que estamos deixando para trás, falamos de algumas das coisas de ~cultura geral~ (fora do âmbito dos videogames) que mais nos marcaram. Surpreendentemente acabou tendo muita música, mais do que atencipávamos.

Muito obrigado a todos que nos acompanharam até aqui. O Bilheteria estará de volta no dia 11 de janeiro. Até lá!

Assine o nosso feed ou baixe o Bilheteria #106 e escute no seu player predileto.

Participantes:

Caio Teixeira
Henrique Sampaio
Heitor De Paola
Matheus Leston

Assuntos abordados:

1 min – Heitorpecente e seus exageros moderados
14 min – Lista do Henrique

  • The Range – Potential
  • Anohni – Hopelessness
  • Moderat – III

33 min – Lista do Heitor

  • David Bowie – Black Star
  • Leonard Cohen – You Want it Darker
  • Nick Cave – Skeleton Tree

50 min – Lista do Teixeira

  • Lights Out
  • The Forest
  • Ludo
  • Jeruzalen
  • The ABCs of Death
  • VHS 2

74 min – Lista do Matheus

  • Metallica – Hardwired… to Self-Destruct
  • Nicolas Jaar – Sirens
  • James Blake – The Colour in Anything
  • Kendrick Lamar – untitled unmastered.
  • Kanye West – The Life of Pablo
  • Tim Hecker – Love Streams
  • Badbadnotgood – IV
  • Roly Porter – Third Law
  • Brian Eno – The Ship
  • Massive Attack – Ritual Spirit / The Spoils
  • Radiohead – A Moonshaped Pool
  • Beyoncé – Lemonade
  • Tássia Reis – Outra Esfera
  • Grooverdose – Frequencies
  • Elza Soares – A mulher do fim do mundo

95 min – Emails

Música do final: Grooverdose – Brazil (feat Eli Almic)
Siga a nossa playlist no Spotify.

O Overloadr é um site movido a amor, a uma incrível comunidade e crowdfunding, especificamente via Apoia.se. Para entender por que deixamos o Patreon, leia nosso FAQ. Se você gosta do nosso trabalho, considere contribuir com nossa campanha de financiamento coletivo.

Envie emails com perguntas e sugestões para: bilheteria@overloadr.com.br

  • Mateus Patussi

    1 Mês inteiro sem bilheteria </3

  • Victor Hugo

    Depois que comecei a ouvir podcast, não ouço mais música.

  • Victor Hugo

    Jesus ressuscita um seguidor chamado Lázaro,e também depois da crucificação tem uma passagem que as covas se abriram e os mortos foram dar um rolê.

  • Julio Cesar

    Não vi muita coisa mas aqui estão meus álbuns, filmes e séries de 2016

    Álbuns.
    Frank Ocean – Blonde
    Childish Gambino – “Awaken My Love!”
    J. Cole – 4 Your Eyez Only

    Documentários.
    Tickled
    The Mask You Live In
    Amanda Knox

    Séries.
    Billions
    The Get Down

    • Victor Hugo

      Tickled é assustado pqp.

  • FHC

    Só uma dúvida: pq o arquivo do cast tá tão grande? 300mb.

  • Felipe Valério

    Eu achei esse álbum da Anohni horrível. A produção é incrível mas as letras são terríveis. E eu não to nem discutindo se você concorda com a mensagem política do álbum. Eu to discutindo que elas parecem que forem escritas por um adolescente de 13 anos que acabou descobrir política.

  • Michael Pereira

    Gostaria de deixar uma sugestão, quando forem falar sobre música, principalmente sobre música, coloquem a mesma de fundo.Só os 30 segundos no final do bloco fica meio fora de lugar.
    Sei que vocês gostam desse formato mais americano de Podcast, mas quando se trata de música, meio que se desperdiça o potencial do formato do Podcast.

    • riquesampaio

      Eu discordo. Nem podcasts de música fazem isso sempre. Se há discussão, não há como prestar atenção na música de fundo, até porque seu volume não pode estar muito alto, ou ela interferirá nas camadas das vozes. Dar uma “palhinha” da música após a discussão é uma maneira de incentivar o ouvinte a procurar e ouvir por conta própria, caso ele tenha se interessado.

      • Michael Pereira

        Entendi, é que no meu caso, ouço Podcast normalmente me deslocando para o trabalho, lazer, etc. Com a música de fundo eu tenho uma idéia geral do que esperar e se vale a pena.
        Já conheci alguns artistas e trilhas nesse formato, e sempre foi interessante e não distrativo.O pedaço que é exposto no final eu sempre considerei bem pequeno e insuficiente, mas esse sou eu.
        No meu caso eu não assino Spotify, que poderia facilitar a procura em trânsito. sempre procuro pelas sugestões em casa, e as que sempre me lembro são aquelas que já tive pelo menos uma exposição considerável sobre ela ou o trabalho do artista. Enfim, foi só uma sugestão mesmo.

  • Victor Hugo

    Por que o Heitor é sempre o diferentão? (Sobre a opinião dele sobre o texto criticando a cultura pop)

    • Heitor De Paola

      É porque eu sou um floco de neve lindo, único e especial.

  • AnaniasJr

    É claro que dá pra fazer música pop sem ser popular. É o mesmo que acontece com a MPB, que há tempos deixou de significar música popular brasileira pra ser uma apenas uma sigla que representa uma certa estética sonora.

  • Essa conversa de vocês sobre o que é pop e o que não é pop só mostra como é ridículo querer ficar classificando música em categoria. Música é música, independente do gênero ou categoria. Essa história de classificações de gêneros só foi criado pra vender mais fácil, tipo “azul para menino e rosa para menina”.

  • Kalel Mota

    Primeiramente, vocês que curtem Kendrick Lamar, tem que ouvir o novo disco da A Tribe Called Quest – “We got it from Here… Thank You 4 Your service”. É excelente, melhor disco de rap do ano, na minha humilde opinião.

    Além disso, gostaria de indicar uns álbuns brasileiros que saíram esse ano:
    “Duas Cidades” – BaianaSystem (imagino que o Teixeira ia gostar muito desse disco)
    “Curado” – Hurtmold e Paulo Santos
    “M M 3” – Metá Metá
    “Melhor do que parece” – O Terno
    “Sabotage” – Sabotage (álbum póstumo)
    “Tropix” – Céu
    “O Ministério da Colocação” – Séculos Apaixonados

  • El Luchador

    Após uma extensão pesquisa de 7 segundos, encontrei as informações a respeito de Golias em um site muito confiável chamado Wikipedia:

    Golias (em hebraico, גָּלְיָת) foi um guerreiro de Gate (1 Samuel 17:4), descrito como um homem medindo 2, 90 m (6 covados e 1 palmo). Participou do episódio da batalha entre os Filisteus e o povo de Israel, que foi defrontado e morto por Davi, segundo relatos da Bíblia.

  • Jonas S. Marques

    Eu amo o Rique e tenho aprendido ao longo dos quase 5 anos que o escuto a cada vez mais respeitar a sua sabedoria e a sua empatia.

    Mas caralho, Rique, caralho. O nome disso aí no álbum do The Range é R&B, ou, se preferir, Modern R&B.
    Um pedido pessoal meu. Em 2017, ou agora, no fim de ano, tenta dar uma chance pra essa galera nova do R&B como The Weeknd, Miguel, Maxuel, Eric Belinger, meio por aí.

    Sei que não é, de modo algum o teu tipo de música mas poxa, isso foi até meio estranho de ouvir no episódio :/

  • Hernesto Vautero

    O único rapper branco que eu conhecia antes do Eminem era o Snow, nome muito conveniente aliás:

    https://www.youtube.com/watch?v=e3U2NNv8VcE

    • Hernesto Vautero

      Hoje em dia eu falo inglês de boa e o vídeo tem legendas, e mesmo com tudo isso eu não entendo 10% do que sai da boca do cara.

  • Jonathan Menegalli

    la roux é pop?