Nosso Caio Teixeira teve empecilhos de última hora e por conta disso, infelizmente, não pôde estar presenta no Bilheteria #111. Apenas com Heitor e Henrique, conversamos sobre músicas que fizeram muito sentido para nós no passado, mas que deixamos para trás, a antiga programação da TV Cultura, tangenciamos a Geração Beat e descobrimos que o Rique poderia ter sido um gênio.

Assine o nosso feed ou baixe o Bilheteria #111 e escute no seu player predileto.

Participantes:

Henrique Sampaio
Heitor De Paola

Assuntos Abordados:

0 min – Lá Vem História
7 min – O parrudinho e o heitor são irmãos
8 min – Jamiroquai, bandas e grupos da adolescência
40 min – Versos de um Crime e geração beat
52 min – Swiss Army Man
57 min – Emails e o teclado de sulfite do Rique

Música de encerramento: Jamiroquai – Automaton

O Overloadr é um site movido a amor, a uma incrível comunidade e crowdfunding, especificamente via Apoia.se. Se você gosta do nosso trabalho, considere contribuir com nossa campanha de financiamento coletivo.

Envie emails com perguntas e sugestões para: bilheteria@overloadr.com.br

  • Leandro Correa

    Hugo Cabret é sobre o George Méliès sim Rique, você pensou certo!

  • Bruno Izidro

    Legal o podcast, só não entendi porque o Heitor começou a me descrever a partir de 23 min 27 seg.
    Fiquei confuso.

    Mas de resto, beleza.

  • AnaniasJr

    A ideia de usar dois Hs como logo pra dupla Heitor & Henrique pode ser perigosa porque pode causar confusão com aquele outro cara, o Hitley

  • A princesa e a ervilha, eu tinha EXATAMENTE esse livro da foto e adorava essa história. https://uploads.disquscdn.com/images/0056ec75efea4c40321455ce8b4082b5b5d43c8a18d1f486ae39a4d654b6b696.jpg

  • Hernesto Vautero

    Eu to loco ou faltou a Vitrolinha do Tetheu?

    • Heitor De Paola

      É que a ideia é que quando há algo musical comentado no podcast – no caso, o Rique falando do Jamiroquai especificamente – colocamos isso no final, em vez de Vitrolinha do Tetheu.

      • Bruno Thomaz

        Vitrolinha do Tetheu! Melhor nome!

  • Thiago Nunes

    Só queria ressaltar como minha cabeça explodiu ao perceber recentemente que o álbum Discovery do Daft Punk tem esse nome porque tem influência DISCO…very.

  • Alexandre Soares

    Como é nome do documentário sobre os homens e depressão que o Rique citou?

    • Heitor De Paola

      Se chama The Mask You Live In. Tem no Netflix.

  • rodrigo

    Jamiroquai é musica de churrasco, toca e ninguem reclama, agrada metaleiros e pagodeiros

  • Rodrigo Pillotto

    O Rique devia ta confundido o programa das histórias com o quadro “Senta que la vem história” que tinha no Ra-Tim-Bum.

  • Bruno Araujo

    Sobre Emo: existe uma pequeno gap de gerações entre Dance of Days e Forfun, tenho 29 anos e gostava de Dance até o quarto álbum, depois disso ficou ridiculamente ruim, e a gente já achava muito tosco quem curtia Forfun que surgiu um pouco depois, mais ou menos junto com NX Zero e Fresno, porque era algo totalmente diferente do que a geração do Dance e Deadfish falava sobre, que foram influenciados por punk rock e hardcore californiano, uma apatia social que aflorava em revolta contra as coisas que existiam, política, padrões etc. CPM 22 surgiu na mesma época, mas rapidamente foi para uma gravadora e nunca se aprofundaram nas letras, sendo sempre bem raso. E sobre Emo, ninguém que gostava dessas bandas gostava do termo, porque era sempre usado de forma prejorativa, e de fato surgiu não como um movimento ou algo assim, mas como um estilo específico de hardcore de Washington que cresceu de forma assustadora.

  • Artsyrobo (Marlon)

    Eu só fico meio mal quando dizem que Dream Theater é lixo (no mesmo programa que o Heitor elogia Raimundos), mas ok, só pulo os minutinhos quando mencionam a banda e continuo ouvindo o podcast
    Mas PRECISAVA colocar Pull em Under ironicamente? senti que tava escutando a música com o tema de “curb your enthusiasm” no fundo

    (Não tô ofendido, só salty mesmo, haha. Ótimo programa)