Após duas semanas no Rio de Janeiro, Caio Teixeira mata nossa saudade de seu gosto particular para comidas. Heitor aprecia um fim de semana do mais absoluto nada, enquanto Henrique lembra com nostalgia dos dias que passou na cidade maravilhosa. O papo segue com opiniões sobre os filmes Corra!, The DiscoveryAlien: Covenant e Guardiões da Galáxia Vol. 2, além do musical Lembro Todo Dia de Você.

Assine o nosso feed ou baixe o Bilheteria #125 e escute no seu player predileto.

Participantes:

Caio Teixeira
Henrique Sampaio
Heitor De Paola

Assuntos abordados:

0 min – Festa na VR Gamer
5 min – Barbearias
7 min – Teixeira não gosta da comida do Rio
14 min – O que é fazer nada em Monte Verde?
22 min – Corra!
32 min – The Discovery
41 min – Lembro Todo Dia de Você
53 min – Twin Peaks
68 min – Alien
87 min – Guardiões da Galáxia
93 min – Emails
113 min – Vitrolinha do Tetheu: Grupo Rumo – A Pulga e a Daninha

O Overloadr é um site movido a amor, a uma incrível comunidade e crowdfunding, especificamente via Apoia.se. Se você gosta do nosso trabalho, considere contribuir com nossa campanha de financiamento coletivo.

Envie emails com perguntas e sugestões para: bilheteria@overloadr.com.br

  • Lucas Okatani

    Heitor Monte Verde é vida !! fui de ônibus para lá e foi uma loucura, só da pra chegar lá se pegar um ônibus no tiete até camanducaia e depois de lá pegar outro pra Monte Verde, e os horários desses ônibus são um negócio muito louco, tipo de ter só uns 2 ou 3 por dia ! kkkkk
    Mas eu adoro lá, a vista das montanhas, o fondue, chocolate e o frio são muito bons !!
    E Teixeira eu sinto exatamente a mesma coisa toda vez que eu vou pro Rio de Janeiro, especificamente pra Barra da Tijuca, acho que eles tem um curso de como atender mal lá, cheguei a pedir o jantar no hotel e vir gelado e errado duas horas depois do previsto, eu não gosto do Rio exatamente pelo péssimo atendimento de lá, isso que nem vou mencionar os taxistas kkkk

    • Kiya Varella

      Taxista é complicado… Com os aplicativos ficou bem mais tranquilo, como tem GPS eles não tem mais como enrolar, só quem for desatento.
      Dá uma chance para o RJ, é terra de louco mais é lindo demais.

      • Lucas Okatani

        Kiya eu ia todo ano a trabalho para o Rio, e era complicado por que a empresa que chamava o táxi e pagava o hotel, mas foi um perrengue hauahuah
        talvez eu vá ao Rio pra passear mas longe da Barra, não gostei de lá não hauahuah

  • Kiya Varella

    Barra é um bairro bem bosta, longe de tudo e tem uma aura de elitismo bem babaca. Atendimento lá, vc tem que ser amigo do pessoal pq empregado lá é tratado muito mal, por causa do povo escroto que só por ter dinheiro acha que pode tratar um atendente mal. E outra, carioca sempre vai dar uma zuada se perceber que é não é daqui, isso é certo? Não, mas acontece.

    Vocês perguntaram se tem algum prato tipico do rio, que eu saiba, tem o filé a osvaldo aranha (filé mignon alto ou um contra filé, temperado com alho frito, acompanhado de batatas portuguesas, arroz branco e farofa de ovos) ou algum prato do tipo (arroz, bife, batata frita, farofa e feijão).

  • Oi gente! Primeiramente sempre fico muito feliz quando vocês falam de teatro. Tem tão poucos podcasts que falam disso por aqui.
    Talvez uma pequena informação extra? Acho que Lembro Todo Dia de Você não é exatamente o primeiro musical original do Núcleo Experimental. Teve Sonhos Não Envelhecem que é original, mas é o que chamam de Musical Jukebok, que usam músicas já estabelecidas anteriormente pra contar uma história.
    É bem legal que tenha um musical com roteiro e musicas feitas aqui. Até Gota D’água, que em minha opinião é um dos melhores musicais, utiliza de musicas já existentes.

    PS: Ainda não vi o musical (quero ver ASAP), mas vendo os vídeos divulgados notei que o cenário é bem parecido Dear Evan Hansen, que é sobre um jovem com ansiedade, não sei se foi inspiração pra eles.
    PS2: O Núcleo Experimental também está apresentando a adaptação de Senhor das Moscas no SESI, também do Zé Henrique Paula e Fernanda Maia. Recomendo.

    Beijos de luz a todos. Obrigado pelo conteúdo crocante.

    • riquesampaio

      Verdade, Abbade! Mas eu me questiono se dá pra dizer que o Sonhos não Envelhecem (que inclusive já comentei no Bilheteria!) é original, visto que é uma adaptação de Sonhos de Uma Noite de Verão e, como você disse, traz músicas que já existem (no caso, do Clube da Esquina). Aliás, lindo musical.

      Legal o que você notou sobre o Dear Even Hansen. Vou checar!

  • Oi galerinha do Overloadr.
    Eu também estava lá no CCBB para assistir a estréia de Lembro Todo Dia de Você e vou aproveitar o espaço aqui para fazer uma crítica também!
    Começando pelo final, encontrei o Rique no elevador, saindo da peça. Eu queria ter alugado ele um pouco mais, mas minha galera não caberia no elevador e o acompanhante dele estava segurando a porta. Só deu tempo pra parabenizar pelo site e podcast e ouvir ele dizer “Então você é dos games” quando eu disse que não costumava ouvir o Bilheteria. Rique, EU FIQUEI OFENDIDO! rs! Mas não tanto, afinal quando apareceu o Tibia na tela exclamei igual o Teixeira fez no podcast (só que por dentro, pra não atrapalhar a peça hahahhaha).
    O CCBB é um dos meus lugares favoritos de São Paulo, frequento o teatro dele constantemente com minha esposa (consideramos lá o nosso cantinho, tanto que fizemos uma seção de fotos nossa lá!) além de tantas outras peças e filmes que vamos ver. Fiquei tão bolado que no domingo eu joguei 2hs de video-game, e escolhi Ori só porque o Rique odeia!
    Brincadeiras a parte, eu estava acompanhado da minha esposa e outras duas amigas, que lamentaram demais o Rique ser gay. Te acharam lindo.

    Minhas impressões sobre a peça.
    Pontos positivos:
    – Atuação da maioria dos atores (não fui muito fã do casal principal). O timing de comédia foi bom e acredito que com as próximas atuações deve melhorar. A mudança da personalidade de um personagem para outro feito pelo mesmo ator também estava ótimo.
    – A estrutura não linear dos acontecimentos. A todo tempo eles davam uma pequena dica que te dizia se aquilo se passava antes ou depois dos outros acontecimentos.
    – A parte instrumental das músicas (fiquei aliviado que essa foi a parte que seu amigo cuidou, não estava muito confortável em criticar ele aqui rs). Estava realmente lindo! Foi visível que existia uma dinâmica combinando com o tipo de atuação no palco, vezes mais leve, vezes mais agressiva.
    – O cenário estava muito legal! A iluminação também.

    Pontos negativos:
    – O Pedro e o Tiago (não tenho certeza que eram esses os nomes) não foram as atuações preferidas da minha vida. Talvez fosse nervosismo de estréia da peça.
    – Alguns atores tinham vozes bem ruins para o musical, não só desafinados mas com pouca projeção e melodia.
    – As músicas não tinham as letras mais inspiradas.
    – A peça fez questão de explicar a maioria das metáforas do primeiro ato no segundo.

    Esse último ponto fortaleceu a ideia —-SPOILER PESADO, SE FOR ASSISTIR A PEÇA NÃO LEIA (mesmo que o Rique já tenha dado ele logo no começo da crítica dele no podcast rs)—- de que o protagonista estava o tempo todo em uma sessão de terapia, mas enfraqueceu a peça para mim. Entendi que a ideia era ser o mais literal possível, atingindo um maior público e esclarecendo tudo para os possíveis adolescentes que entrassem em contato com ela, o que é louvável, mas como estrutura de teatro acabou deixando o final chato e repetitivo.

    Sobre o segundo ato, o ator que fez o terapeuta arrasou. Minha esposa é psicóloga e ela ficou muito contente com o respeito dado à profissão.

    Desculpa pelo texto super comprido! Um grande abraço e até o próximo Bilheteria.

  • Bruno Leao

    Talvez esse vídeo mostre mais ou menos como seria a briga recém-nascido contra a pressão.
    https://youtu.be/AMHwri8TtNE

  • Rodrigo Martins

    Só pra esclarecer, uma dúvida que vocês tiveram sobre o Get Out

    O Jordan Peele que o Teixeira viu no elenco (não me lembro dele no filme pra ser sincero), é o escritor, o diretor e um dos produtores do longa.

    Beijos e esse episódio foi ótimo 😀

  • Roberto

    O Lynch nao teve controle total da série, se não me engano a série devia acabar quando descobrem o assassino da Laura Palmer, tanto é que depois dali há vários fillers e o nível como um todo cai bastante (esses episódios não foram dirigidos pelo Lynch). Enfim, se forem assistir novamente, vale a pena até a resolução desse arco.

  • El Luchador

    GENTE, se não tiverem a fim de ver as duas temporadas de Twin Peaks novamente, só para lembrar, aqui vai um resumão de tudo o que rolou: https://youtu.be/n_64-4c_E3o

    • El Luchador

      Em tempo, estou adorando a nova temporada e já me deixou novamente no hype da série.
      Adorei também que a abertura é a mesma (praticamente) que das temporadas antigas.
      Aquela música de abertura me causa uma sensação estranha. Sinto que fico com uma nostalgia de algo que nunca vivi. Não sei explicar…