O Bilheteria #131 tem uma discussão sobre mudanças que estão sendo sentidas em São Paulo, cuja conversa tem início com o fechamento recente da casa Alôca. Fora isso, Heitor assistiu desenhos animados japoneses (conhecidos como “animes” pela meninada), incluindo Castlevania do Netflix, sobre os quais têm algumas coisas a falar. O Teixeira verte uma lágrima solitária por não estar mais conseguindo gostar muito de Archer e o Henrique fala de filmes iranianos. Esse Bilheteria também traz o retorno triunfal da Vitrolinha do Tetheu.

Assine o nosso feed ou baixe o Bilheteria #131 e escute no seu player predileto.

Participantes:

Caio Teixeira
Henrique Sampaio
Heitor De Paola

Assuntos abordados:

0 min – Rique não quer ficar com a blusa
3 min – Calvície
11 min – Alôca foi fechada
27 min – O Apartamento
32 min – Castlevania
38 min – O Jardim das Palavras
43 min – 5cm Por Segundo
49 min – Archer
55 min -Emails
79 min – Vitrolinha do Tetheu: Nomade Orquestra – Madame Butterfly

Envie emails com perguntas e sugestões para: bilheteria@overloadr.com.br

apoiase

  • Alessandro

    Rique, amo seu cabelo ! só isso msm e.e kkkkk

  • Matehuos

    Vcs já assistiram o circulo? É um filme que estava em cartaz a pouco tempo e vi pouca gente falando a respeito e seria bem legal tem a opinião de alguém de vcs.

    • Heitor De Paola

      Nossa, eu achava que ainda não tinha estreado. O Rique falou do livro há pouco tempo, que ele leu, mas o filme entrou em cartaz e nem fiquei sabendo. Eu queria assistir.

      • Matehuos

        Ele entrou em cartaz uma semana antes do homem-aranha, acho que isso acabou prejudicando. As criticas do filme foram bem…. ruins talvez saia no netflix daqui uns meses.

  • El Luchador

    Achei que um dos animes seria One Punch Man, que estreou na Netflix.
    Gente, é maravilhoso!
    HAHA
    Não me divertia tanto com anime desde… é, faz bastante tempo.

    EDIT: Acho que não me divertia tanto com anime em muito tempo porque desde que assisti Fullmetal Alchemist: Brotherhood, nunca achei nada que chegasse nem perto, tanto que se tornou meu anime favorito da vida! : )

    One Punch Man é uma pegada totalmente diferente (de qualquer outro) e acho que por isso me fisgou.

    • Heitor De Paola

      Pior que eu já cheguei a assistir One Punch Man. Esqueci o nome do site, mas me passaram uma vez um que faz stream de animes legalmente tipo o Crunchy Roll e nele tinha One Punch Man. Aguentei 4 episódios, gostei só do primeiro e parei por ali mesmo.

      • Matehuos

        Heitor, procura perfect blue e papikra são muito bons!

        • Onire de Morais

          Todas as obras audiovisuais de Satoshi Kon são incríveis, recomendo muito <3

  • GotToGetBack, back to the past

    Esse filme que o Rique recomendou (O Apartamento) tá com uma carinha que no final a gente descobre que quem bateu nela foi o próprio marido e ele estava procurando ele mesmo o tempo todo…

    Quero só ver, se for isso mesmo vou ficar bolado

  • Isso que o Caio comentou do capitalismo se aproveitar dos gêneros pra vender é muito verdade. Quer dizer, é muito óbvio e vai além do gênero sexual. Basta ver como filmes e jogos são segmentados em milhares de gêneros e subgêneros. Quanto mais dentro de uma “caixinha” você conseguir colocar seu produto, mais chance dele ter sucesso comercial pois as pessoas não gostam de “pensar” naquilo que vão consumir e gostam de seguir uma linha que se sente mais confiante. Por exemplo, quando você vai numa loja de perfumes, veja como é muito prático pro vendedor e pro comprador os perfumes estarem subdivididos em várias categorias. É como se você fosse respondendo um questionário até chegar naquele produto que seria o “ideal” (É pra homem ou pra mulher? É pra criança ou pra adulto? É pra presente ou pra você? Etc). E detalhe que perfume é algo totalmente abstrato mas ainda assim eles conseguem dividir em gêneros e categorias! E gêneros até ajudam na hora de você explicar do que se trata uma obra. Eu não sou radical de dizer que não gosto de gêneros para coisas mas, ultimamente, eu percebo que as mais interessantes (principalmente em filmes) são aquelas que você não conseguem definir um “gênero” e acaba se expondo e surpreendo pra algo totalmente novo. Mas, infelizmente, até em algo novo as pessoas conseguem dar “nome aos bois” e criam um subgênero…

  • Bruno Araújo

    Sim, o Heitor geralmente costumava odiar mais as coisas. Agora o Teixeira está odiando tudo e Rique continua sendo amado.

  • Schiavini

    Tetheu, você ganhou meu coração. Que música fantástica, só me fez abrir o Spotify pra ouvir o resto do Nômade Orquestra, e cada música que to abrindo eu to realmente curtindo.

    O Madame Butterfly me dá um feeling de música do Skullgirls.
    Mas o vídeo ainda não está disponível né?

    • Matheus Leston

      que bom que você curtiu, cara! mas é, ainda não saiu. falei com o pessoal agora e está pronto, só esperar publicarem mesmo. deve ser nos próximos dias!

    • Matheus Leston
  • Thiago Nunes

    Interessante o Heitor ter caído em Makoto Shinkai, é uma das poucas coisas de anime que assisti nesses últimos meses. Acho 5 centimeters per second lindo todo, inclusive a música brega. Pra quem quiser saber mais sobre as principais obras desse diretor, recomendo o JACK, podcast de anime dos garotos do Jogabilidade:

    http://jogabilida.de/2014/06/jack-04/

  • Vitor Calfa

    Gostaria de comentar algo sobre Castlevania aqui mas, cada vez mais, vejo que minha opinião está completamente influenciada pelo meu gosto pessoal. Fato é, Castlevania é minha serie de vídeo game preferida e eu ADOREI a animação do Netflix por esta ser extremamente fiel ao cânone da cronologia clássica.

    =

    Sei lá, estou me sentindo até meio mal por ter gostado em vista que uma legião está descendo o verbo em cima da produção.

    • Heitor De Paola

      Engraçado. Eu não fui atrás de comentários fora da minha bolha, mas no geral ouvi pessoas com comentários mais próximos do que eu senti (de, “é okay”), mas vi também algumas que curtiram e saíram com impressões positivas. Na real, vi menos gente falando estritamente mal do que qualquer outra coisa.

  • Sobre “O Jardim das Palavras”, tive a impressão contraria do Heitor. Para mim o personagem masculino é apresentado como uma criança muito madura para sua idade e a personagem feminina dando uma de imatura quanto aos seus problemas. O fim é brega mesmo, mas quando assisti fui avisado que era um puro dorama animado, então achei ok.

    A animação é muito boa (é de longe a parte que eu mais gostei).

  • Andre Bordo

    Porra, assim que o Teixeira comentou sobre o Rapaz e o Monstro eu recomendei pra ele os filmes do Makoto Shinkai! ahahahahahah sacanagem xD

  • Márcio Barbosa

    O “só se você for fresco” me fez rir a ponto de assustar as pessoas que estavam perto de mim XD. Agora sobre cabelos, foi a primeira coisa que eu reparei nos dois vendo o resumo da semana, como estão diferentes.