O evidente entusiasmo de Henrique no início deste Retroscópio mostra que ele tinha uma grande paixão por MDK, ao contrário de Heitor, que nunca havia tido contato com o jogo. Mas, conforme a primeira fase progride, o level design confuso, os desafios aleatórios e os crashs, aos poucos, vão contaminando o amor de Henrique, que sai desolado com a experiência frustrante.

É, parece que atualmente MDK só funciona bem mesmo na memória de quem jogou.

Assista a outros Retroscópios (que não quebram) do Overloadr:
Theme Hospital
Twisen’s Odyssey