Outcast foi um marco em 1999, quando chegou ao PC. Um dos primeiros jogos de mundo aberto em 3D, o jogo antecipou muitas das características que hoje são comuns às grandes produções single-player, como The Elder Scrolls V: Skyrim e Horizon: Zero Dawn. Mas as inovações vinham com um preço: ele exigia computadores potentes na época, o que acabou limitando o acesso do público. Apesar de seu sucesso moderado, inclusive no Brasil, onde ele foi lançado oficialmente com legendas em português, ele acabou por se tornar um clássico cult, lembrado apenas por uma pequena comunidade de fãs.

Aproveitamos o lançamento em novembro de Outcast: Second Contact, seu remake para PC, PS4 e Xbox One, para explorar seu mundo alienígena e apontar suas inovações, considerando não apenas o contexto da época em que ele foi originalmente lançado, mas também o atual.

  • Gustavo Quintão

    Esse jogo não tinha me chamado atenção, eu tava considerando ele só uma forma de agradar os antigos jogadores do original, e bem, eu não fui um deles. Mas o Rique falou com tanto entusiasmo sobre o jogo, que me deu vontade de jogar ele agora! rss

  • Mas que jogasso!

  • Marcus Becker

    Eu joguei Outcast na época mas não me lembro de ter finalizado o jogo embora a sensação de ficar surpreso com aquele mundo maravilhoso me seja inesquecível.

  • Anderson Cardoso

    Só uma coisa nada a ver com o jogo na real.

    Rique, a altura da sua voz em relação a música de fundo ficaram no mesmo nível, me deixando com um pouco de dificuldade de entender o que era dito.